NESTE ANO DE 2017, COMPLETA 190 ANOS DE INSTALAÇÃO DA COLÔNIA ALEMÃ EM ITAPECERICA, QUE OCORREU EM 1827.

No ano de 1827, a pedido do governo imperial, imigrantes alemães foram enviados para o então distrito de Itapecerica.

No ano de 1827, a pedido do governo imperial, imigrantes alemães foram enviados para o então distrito de Itapecerica, que pertencia a Santo Amaro. Antes, porém, o Imperador D. Pedro I incumbiu o major Georg Anton Von Schaeffer, de obter na Europa, soldados que pudessem lutar nas guerras do sul. Ele aliciou também colonos, prometendo riquezas, altos cargos e terras próprias. Entretanto, muitas promessas não foram cumpridas e Itapecerica acabou recebendo famílias de soldados e colonos alemães.
 
O Governo Imperial, prevendo a chegada de muitos colonos estrangeiros, antecipadamente e sem a menor consulta aos poderes que dirigiam a Província de São Paulo, havia remetido a ela o seguinte aviso: "Sua Majestade o Imperador é servido que o Vice-Presidente da Província de São Paulo tome desde já as medidas que julgar convenientes para receber e alojar os colonos estrangeiros que em breve sairão desta Côrte para essa Província, e os mais que sucessivamente lhe serão enviados à medida que forem chegando".
Palácio do Rio de Janeiro, em 8 de novembro de 1827.
assinado: Visconde de São Leopoldo.

Foi nomeado para diretor da colônia, o Dr. Justiniano de Melo Franco, que falava alemão. Ele representava os imigrantes, recebia suas queixas e sugestões, pagava-lhes o subsídio. Ficou encarregado de escolher, com o Govêrno, um local para a instalação definitiva da Colônia.

129 Colonos alemães aceitaram terras nas Freguesias de Santo Amaro/Itapecerica. Os imigrantes, abaixo mencionados, desbravaram as terras do local e colaboraram com o desenvolvimento destas cidades. Com o passar dos anos houve a miscigenação com os nativos, e eles deixaram o idioma e costumes germânicos para traz, que acabou caindo no esquecimento por falta de escola e professor alemão aos descendentes dos imigrantes.

Nesta região ficaram os Klein, Gilcher, Guilger, Creem, Crimm, Helpfstein, Ulrich, Heildrich, Hengles, Schunk, Conradt, Teisen (Theissen), Kasper (Gaspar), Krist, Schimidt, Roskenback, Zillig, Sellig, Gottfried, Jacob, Steep, Weishaupt, Reimberg, Moor, Fischer, Nininov, Juster, Nargang, Kuhn, Enrich, Reimberg, Ablas, Christ, Hessel, Schneider, Engel, Endres, Stefen, Becker, Lange, Hannickel, Anton, Schuch, Kreling, Wolther, Grosklos, Weiman, Donsbach, Weber, Paschoal, Willens, Bauerman, Rockumbach, Rosen, Burg, Wiececk, Weikert, Justin, Welling, Donsbach, Miller, Balten, Beiling, Follman, Kreling, Schevint, Freiler, Thill, Korbach, Pormn, Roopen, Schoteler, Roschel,  entre outros.

Alguns nomes das famílias alemãs que foram enviadas para Itapecerica: Ana Maria Staeter  – Felipe, Maria, Felipino, Carolina, Anna, João e Dorotea; André Kasper e Suzana – Ana, João e Pedro; Antonio Stoffel e Escolástica; Augusta Bergt; Carlos Ninove e Margarida – João, Anna e José; Cristovão Kirsch e Anna Catharina – Cristiano, José e Cristovão; Cristovão Moor e Isabel – Catharina; David Kirschn e Anne – Maria e Catarina; Frederico Helfenstein e Anna; Guilherme Schubart e Luisa; Henrique Fischer e Maria; Henrique; Pedro Ochs e Anna – Maria; Henrique Strasburger e Juliana – João, Frederico e Jacó; Jacó Grimm e Barbara – Jacó, Carolina e Catarina; Jacó Merdes e Isabel – Anna, Antonio, Suzana e José; Jacó Sellig e Maria – João, Pedro, Anna, João, João J.,José e Maria; Jacó Zweibrücker e Isabel – João, José e Luisa; Jacob Stachel e Margarida – Margarida e Jacó; João Schimitt; João Hutt – Mathias; João Meinertz e Margarida – Isabel, Jacó e Maria; João Pedro Theisen e Suzana – João, Mariana, Catarina e Clara; João Stefens e Suzana – João, Maria e Pedro; Quirim Korboch e Maria Catarina; Mathias Fikinger e Maria; Mathias Francken e Margarida - Isabel, João, Catarina, Anna e Margarida; Mathias Keres e Anna; Mathias Plunica e Catarina – Anna, Mathias, Catarina e Gertrudes; Matias Rippel e Anna – Felipe e Nicolao; Nicolao Martin e Anna – João, João e Isabel; Nicolau Knebel e Anna – Pedro, Maria, Anna, Filipe; Nicolau Stipp e sua mulher – José, Pedro e Margarida; Pedro Jose Ingle e Catharina; Gregorio, Juvenal, Nicolau Hengles; Pedro Sillig e Maria – João; Pedro Stunhor e Anna – Isabel; Pedro Toll e Bárbara; Sebastião Weishaupt - Adão e João; Simão Klein e Margarida – Pedro, Catarina, Pedro, Aniza, Isabel e José.

Isto é apenas um resumo desta epopeia dos imigrantes que, certamente, tem muitas outras histórias para serem escritas e contadas.
Fonte: "A Colônia Alemã de Santo Amaro", E. Zenha. Com informações do Arq. ESP.
 
Uma plataforma completa para você gerenciar o site da sua prefeitura.